Revista Central: a informação em tempo real com credibilidade

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Lula apóia expulsão de embaixador dos EUA


Presidente também confirma apoio logístico à Bolívia para desmantelar grupos armados, mas ´nem pensar em tropas´Brasília. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, ontem, em entrevista à TV Brasil que apóia a decisão do presidente Evo Morales de expulsar da Bolívia o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg. ´Se for verdade que o embaixador dos EUA fazia reunião com a oposição do Evo Morales, o Evo está correto de mandá-lo embora.´

´Não é de hoje e é famosa a interferência das embaixadas americanas em vários momentos da história do continente americano. Então, eu acho que houve um incidente diplomático, se o embaixador estava tendo ingerência na política lá, o Evo está correto´, completou.


Morales expulsou Goldberg há uma semana sob a alegação de que ele dava apoio à oposição da Bolívia por ter interesse nos ideais separatistas do grupo. O processo de expulsão ocorreu em meio a violentos e freqüentes protestos de grupos anti-Morales.


´O papel de embaixador não é fazer política dentro do país. Ele está como representante do seu país, em uma relação de Estado com Estado, ele representa o Estado. Aqui no Brasil, uma vez, uma embaixadora americana, em um jornal brasileiro, respondeu uma crítica que eu tinha feito ao Bush. Eu mandei o Celso Amorim (ministro das Relações Exteriores) chamá-la e dizer que não era admissível ela dar palpite sobre a entrevista do presidente da República´, contou Lula.


Apoio logístico

Na mesma entrevista, confirmou que o Brasil vai dar apoio logístico à Bolívia, a pedido do presidente Evo Morales, para desmantelar grupos armados no departamento de Pando, fronteira com o Acre. “Nem pensar em ingerência brasileira na Bolívia; muito menos tropas”, afirmou Lula. Mas o Brasil vai auxiliar com a venda de caminhões e ônibus ao Exército Boliviano e com ajuda da Polícia Federal na fronteira.


O presidente pediu aos ministros da Justiça, Tarso Genro, e da Defesa, Nelson Jobim, para entrar em contato com autoridades bolivianas a fim de tratar dessa colaboração.Ajuda a refugiadosO governo brasileiro e as autoridades do Acre também vão ajudar entre 100 e 200 bolivianos que cruzaram a fronteira fugindo dos protestos.


Segundo o porta-voz do governo do Acre, Carlos Alberto Bernardo, a situação é mais delicada nos municípios de Brasiléia e Epitaciolândia, nos quais se concentraram os cidadãos bolivianos, em sua maioria procedentes de Pando, onde vigora um estado de sítio.Ainda de acordo com Bernardo, de Rio Branco, capital do Acre, foram enviados médicos, alimentos e roupas para essas cidades na fronteira com a Bolívia.

Além disso, foram disponibilizados alguns prédios públicos, para oferecer abrigo aos refugiados.


PRÉ-ACORDO DO GÁS

Renda do gás O governo ´reconhece´ o direito das regiões de receber a verba do IDH, um imposto sobre gás, de acordo com as leis.Autonomia O governo ´expressa respeito´ ao direito de Santa Cruz, Tarija, Pando e Beni às autonomias administrativas

Ações O governo se compromete a não impulsionar


´ações judiciais que tenham conotação política´ contra dirigentes cívicos e autoridadesFim de protestos O texto prevê desocupação dos prédios governamentais e de instalações de gás natural


Estado de sítio O documento registra o pleito da oposição de que La Paz ponha fim ao estado de sítio imposto a Pando


Fonte:

Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Mande para seus amigos do orkut, twitter etc!
|
Google Analytics